Escritório Compartilhado em Salvador

7 lições que empreendedores de impacto de todo o mundo têm a ensinar

Ter um propósito é o ponto de partida para criar um negócio de impacto social. O caminho rumo ao sucesso é complicado, mas possível.

Os cinco finalistas do The Venture 2019 compartilharam lições e conselhos que aprenderam em sua jornada.

A competição global seleciona negócios de impacto para competir por um prêmio total de US$ 1 milhão.

Entre os 20 finalistas da fase anterior esteve o brasileiro Mundano, fundador do aplicativo de coleta Cataki. O resultado da final será anunciado nesta quarta-feira (9) durante o The Next Web Conference 2019, realizado em Amsterdã, na Holanda.

Confira as oito lições compartilhadas pelo grupo:

Não faça nada sozinho
“Com um bom time, você poderá superar qualquer problema — e você terá muitos”, diz Javier Larragoiti Kuri, fundador da Xilinat. A startup mexicana desenvolveu um método para produzir o xilitol, um açúcar mais natural que o convencional, a partir de insumos agrícolas que seriam descartados.

Segundo o empreendedor, a composição do time é de suma importância. “Vemos empreendedores com ideias muito boas, mas que, por não terem um bom time, não vão longe. Ao mesmo tempo, vemos ideias ruins que envolvem um time muito forte e conseguem virar um grande negócio”.

Conte sua história com paixão
Números e resultados são importantes para conquistar a confiança de investidores. Mas, no fim de tudo, Kuri acredita que é a conexão do empreendedor com a história do negócio que mais gera interesse. “Sempre ouvimos que os investidores não investem no projeto, mas sim na pessoa por trás dele. Se você é capaz de mostrar a paixão que te levou até ali, você se conectará com os avaliadores e com as pessoas”.

Você terá que abrir mão de coisas em sua vida privada
“Cada vez que você diz sim a alguma coisa, está dizendo não para todo o resto”, diz o português Hugo Menino Aguiar, fundador do SPEAK. A iniciativa conecta imigrantes e refugiados a pessoas interessadas em aprender seus idiomas e conhecer sua cultura local. O objetivo é que o contato os ajude a se integrar na comunidade e no país em que estão.

Segundo Aguiar, as decisões e ações também requerem agilidade. Ter uma ideia em mãos é suficiente para começar. “Nós sempre achamos que não estamos prontos. Mas é no mercado e na implementação que se aprende, não na preparação”.

 

 

Você não precisa criar uma solução para tudo
“Você pode ser uma empresa de tecnologia, mas não precisa desenvolver você mesmo o software que precisa. Faça parcerias com organizações, empresas e pessoas que podem ajudar”, diz Komal Ahmad, norte-americana fundadora da Copia.

O aplicativo permite que empresas doem alimentos que seriam desperdiçados a instituições sociais que podem direcioná-los a quem precisa.

Segundo a empreendedora, redes de contato como essas também possibilitam aprendizados. “Você não precisa cometer todos os erros para aprender. Pode tirar lições dos erros dos outros”.

Ouça a opinião das pessoas
“Quando você está no centro de um negócio, não enxerga muitas coisas. É preciso ouvir e acreditar nas pessoas para saber como torná-lo melhor”, diz Martyna Sztaba, fundadora da Syntoil.

A startup polonesa desenvolveu um processo que permite reciclar a borracha de pneus usados, reduzindo o acumulo de lixo. Ao evitar que eles sejam queimados, o processo também evita a emissão de gases poluentes e tóxicos.

No final do dia, você precisa pagar as pessoas
A empreendedora também destaca que, por trás de um propósito, também é preciso haver um modelo sustentável financeiramente. “Você nunca deve esquecer o seu propósito, mas também precisa oferecer as melhores condições possíveis para quem trabalha com você. Então, também não se esqueça do lucro”, diz Sztaba.

Entenda muito bem o problema que você quer solucionar
“Entenda, viva e procure as raízes do problema. Uma vez que você faz isso, a solução será muito fácil”, diz Tey El-Rjula, fundador da Tykn.

A startup holandesa usa blockchain para oferecer uma carteira digital de documentos para que imigrantes e refugiados tenham acesso a serviços e direitos no país em que estão.

O empreendedor indica, porém, que a palavra fácil não se aplica à trajetória empreendedora como um todo. “Você vai pensar em desistir. Nesses momentos, respire, durma um pouco, olhe para o espelho e diga ‘Eu terei uma chance na vida para me provar e mostrar que minha solução pode mudar o mundo.’”

 

Retirado de PEGN: https://revistapegn.globo.com/Negocio-social/noticia/2019/05/8-licoes-que-empreendedores-de-impacto-de-todo-o-mundo-tem-ensinar.html

WhatsApp Fale pelo WhatsApp
ORÇAMENTO
Obrigado por visitar nosso site! Preencha as informações abaixo e logo entraremos em contato.
Sua solicitação foi enviada com sucesso. Logo entraremos em contato.